Notícias

Caixa despeja créditos no mercado imobiliário | Portal Diário do Aço

Postada em 20/06/2022 às 16:55:37
Caixa despeja créditos no mercado imobiliário | Portal Diário do Aço

Contrariando a tendência de retração do mercado diante da alta dos juros na economia brasileira, os financiamentos imobiliários parecem ser um setor que vão se manter aquecidos, pelo menos nos próximos meses. E um dos
termômetros que ratificam essa tendência antagônica é o balanço apresentado pela Caixa em maio.
No último mês, o banco estatal despejou simplesmente R$ 15,6 bilhões no mercado imobiliário, o maior resultado mensal da história da instituição. Para se ter ideia da relevância deste desempenho, o recorde anterior era de R$
14 bilhões registrados em agosto do ano passado, quando a Taxa Selic ainda estava na casa dos 5,25% - hoje, está reajustada em 13,25%, com projeção de chegar perto dos 14%.
O que explica a contradição do mercado é na verdade um choque entre duas potenciais forças econômicas. De um lado, há uma grande pressão do governo federal para reduzir o consumo, desencadeando assim uma
consequente queda dos índices da inflação, que hoje estão num patamar acima dos 12% no acumulado de 12 meses.
"No mês de maio, o banco estatal
despejou simplesmente R$ 15,6 bilhões
no mercado imobiliário, o maior resultado
mensal da história da instituição"
Por outro lado, o mercado imobiliário nacional encontra-se altamente aquecido, apresentando uma performance admirável desde o ano passado. Segundo o indicador Abrainc-Fipe, da Associação Brasileira de Incorporadoras
Imobiliárias (Abrainc), o segmento residencial cresceu nada menos que 226% em 2021 em comparação com 2020.
O que aponta para uma elevação do mercado no restante do ano é a procura por imóveis de alto padrão e a valorização do metro quadrado, indicando que há um universo de consumidores bastante interessados em adquirir
imóveis com a finalidade de investimento.
Para atender a esse público, os lançamentos imobiliários de médio a alto padrão chegaram a mais de 64,5 mil unidades em 2021, e quase 28 mil foram comercializados no mesmo ano - um crescimento de 21% no comparativo
com o ano anterior. Por isso, as ações de combate à inflação devem ter efeitos em outros setores, mas as classes A e até mesmo B passam relativamente incólumes ao aumento dos juros, pelo menos na hora de recorrer aos
financiamentos imobiliários.
Não por acaso, a construção civil demonstra ser um setor tão sólido quanto as estruturas dos grandes edifícios que vêm sendo erguidos. Talvez pelo grande potencial de retorno financeiro, é mais um investimento
aparentemente seguro diante de taxas de juros tão altas como as que são praticadas em nosso mercado. É isso que talvez seja capaz de explicar que o que parece imponderável na verdade é repleto de lógica. "Por Sanzio Cunha"

Fonte: https://www.diariodoaco.com.br/noticia/0098123-caixa-despeja-creditos-no-me

Compartilhar:

Newsletter

» Cadastre seu e-mail e receba novidades exclusivas.

Enviar mensagem
WhatsApp Aqui!